Comédias Baianas

Menu

Links

Icq Status


Visitas

Ingrizilhas Baianas

Centro Histórico?
Centro Histórico?

Notas e Notícias da cidade de São Salvador, Bahia

“A Bahia tem um jeito que nenhuma terra tem...”
Dorival Caymmi

Bahia, minha preta...

Todo artista tem de ir aonde o povo está...

A Bahia é a Bahia e o Brasil é uma comédia...

Saudações bem-humoradas!

São Salvador, Bahia, 3 de Janeiro de 2008. Aqui, tudo continua como dantes no quartel de Abrantes. A especulação imobiliária correndo solta, entra governo e sai governo, e o descaso com o patrimônio público e a destruição da velha Bahia parece não ter fim. Todo canto que se olha da cidade há um casarão histórico abandonado, ruindo. As praias sendo favelizadas, todo o litoral baiano dividido como Capitanias Hereditárias, infestado de resorts, um cacete armado atrás do outro, ruas(são tantas que fica difícil enumerá-las) e avenidas históricas(vide o Corredor da Vitória) totalmente descaracterizadas e destruídas. O que resta são arremedos, escombros, ruínas. A Bahia antiga mais parece uma cidade bombardeada, um arremedo de cidade. Estão matando a galinha-dos-ovos-de-ouro. Obras são embargadas num dia e liberadas no outro, incompetência? Interesses escusos? O Ministério Público precisa investigar a fundo e punir os responsáveis. Não é possível que a Bahia tenha virado um grande balcão de negócios. Sei que nada segura o poder econômico selvagem aliado a políticos populistas e desorientados. Também sei que sempre foi assim, mas afinal nós votamos para mudar, ou não? O pouco que resta de Tradição, Cultura (vide as festas de largo, samba-de-roda, capoeira, carnaval etc.) História (patrimônio público caindo aos pedaços) está indo pelo ralo em nome de uma modernosidade burra e gananciosa que de viseira só enxerga única e exclusivamente o lucro. Agora mais do que nunca é preciso de políticos competentes que dêem um freio nesses descalabros. Vamos aguardar, agora que a casa está arrumada não têm mais desculpas, é arregaçar as mangas, trabalhar e peitar os homis(eheheheh), ficar na rede tomando água-de-coco em Resort ou passeando pela Europa e vendo a casa cair é de lenhar! Amém! Axé, babá!

Horário de Verão na Bahia é ruim, hein?(eheheheh)

Que maravilha! Porreta mesmo! A Bahia não entra mais no Horário de Verão, não é à toa que o prefeito desta cidade, Salvador meu amor Bahia, se elegeu e se reelegeu com votações expressivas e arrasadoras da noite para o dia, sem grandes plataformas políticas, bastou ele, ainda candidato desconhecido, entrar na justiça contra o famigerado Horário de Verão e ganhar a causa para tornar-se uma celebridade junto ao povo baiano. Nada haver com a mística preguiça nossa de cada dia (eheheheh). No Brasil com uma plataforma dessas, ele se elegeria presidente, fácil, fácil, ou não? A Bahia é a Bahia! Uma comédia! O Brasil é o Brasil! Uma comédia! Os políticos brasileiros são “umas comédias!”. Seria cômicozinho, se não fosse trágicozinho (eheheheh). Axé, babá! Amém!

Baiano educado frente ao tabuleiro da Baiana:

Baiana do acarajé – Vai querer Acarajé, freguês?
Freguês educado – Sim, Baiana, por gentileza!
Baiana do acarajé – Bota Vatapá?
Freguês educado - Sim, Freguesa, por obséquio!
Baiana do Acarajé – Camarão, meu rei?
Freguês educado - Sim, minha querida, um pouquinho...
Baiana do acarajé – Bota pimenta freguês?
Freguês educado – Sim freguesa, bote, mas por gentileza bote como se o cu fosse o da senhora, viu minha santa?(eheheheh!)A Bahia é uma comédia!Axé, babá!

Abaixo o turismo predatório!

Não existe turismo que não seja predatório. O turista tem dinheiro. O turista quer comprar. O que não falta são vendedores. Todo mundo quer agradar o turista. O turista viaja para relaxar, fugir da rotina, se espalhar e se espalha. Por mais educado que seja o cidadão, mesmo nos países mais desenvolvidos se não houver uma fiscalização ativa e punições rigorosas com multas e até mesmo prisões o camarada relaxa e goza, faz amor na rua, faz xixi na rua, faz cocô na rua, joga dejetos (garrafas, copos plásticos e mais plásticos) por onde passa, suja e depedra tudo na maior inocência, na santa paz, Zen, zen. E não me venham dizer que isso é coisa de baiano não, pois, eu já vi muita gente educada, nas melhores escolas européias, americanas e do Sul e Sudeste do Brasil, fazendo as suas pequenas imundices pelas ruas da cidade. Aqui na Bahia a degradação de praias, mangues, sítios arqueológicos, santuários ecológicos, Mata Atlântica, Patrimônio Cultural e Histórico é estarrecedor e chega às raias do absurdo. Em nome do turismo e da idéia falaciosa da geração de empregos para a Bahia erguem-se e erguer-se-ão verdadeiros monstrengos turísticos por toda Costa e Litoral Baiano destruindo tudo em volta, e como já dizia o grande filósofo Bidonga, entre uma lapada e outra, lá na Vila do Conde: “Eles vão é encher isto aqui de bosta!” (eheheheh!) Axé, babá, amém!

Temos um presidente comediante, uma oposição de mentirinha, uma elite inoperante, um operariado aburguesado, sei lá é uma decepção atrás da outra. O qüiproquó aqui na Bahia agora é que os testas-de-ferro da Rede Hilton (Paris Hilton lembram, a herdeira do império? Aquela mesmo que vocês sabem quem é, pois bem, aqueles, os empresários portugueses, aqueles que já compraram metade do Litoral Norte da Bahia, pois é, querem porque querem que o IPHAN libere a derrubada de três Casarões Históricos para a construção de uma Torre de 13 andares em pleno Centro Histórico (ali em frente ao Elevador Lacerda e ao Mercado Modelo!), choram que investiram Cinco Milhões de Dólares e que têm mais Cinqüenta Milhões de Dólares para investir e que se não forem atendidos nas suas exigências (lá deles) vão embora para Argentina(que peninha, coitadinhos!). E o pior disso tudo é que as “otoridades” da Bahia acham que é alguma coisa para se pensar (que os argumentos são interessantes!). Lembro-me o que já dizia em priscas era o Barão de Itararé: “Queres conhecer o Inácio, coloca-o num palácio” (eheheheh) É uma comédia! O Brasil e a Bahia são “uma comédia”, com uns políticos desses não é preciso terremotos, terroristas, hecatombes, nem porra nenhuma, nós tamos é no cu da cobra. Pimenta no do povo é refresco!(eheheheh) Axé,baba!

Dim-dim-dom na Medicina da UFBA

Há muito se fala na imprensa da decadência do curso de Medicina da UFBA, em 2004 ameaçaram suspender o vestibular do mesmo. Eis - que surge a tragédia há muito anunciada: Coordenador do Curso de Medicina comentando o fraco desempenho dos alunos de Medicina da UFBA no provão do ENADE(nota 2):" É porque baiano tem baixo QI, poucos neurônios, prova disso é que só sabem tocar berimbau, instrumento de uma corda só". Lamentável, que absurdas declarações partam de um catedrático e coordenador do citado curso e mestre da própria instituição, isto só vem atestar o grau de ineficiência, incompetência e descaso com a Educação Superior no Brasil. Em tempo: Parabéns a UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz) pela nota 4 no Enade( notas de 1 a 5) e que de forma brilhante e inovadora vem implantando um novo modelo de ensino da Medicina na Bahia. Parabéns! (merecem uma ampla e bonita reportagem os estudantes da UESC). Quanto ao surto de imbecilidade como bem falou o Governador Jacques Wagner, não sei se vocês reparam : o digníssimo mestre tem “Anta” no sobrenome (eheheheh). A Bahia é uma comédia! Axé, babá!

Depois ainda dizem que dinheiro não cai do céu...

Choveu dinheiro em Maracangalha: mais precisamente, R$ 5.500.000,00(cinco milhões e meio de reais), só apareceu o meio milhão, os outros, ah, os outros são outros quinhentos!(eheheheh). Afinal de contas estamos no Brasil, o paraíso da impunidade e da maracutaia. Se Anália quiser ir agora que vá só, eu hein? É nem uma, é ruim, hein? Lá, agora, é o maior rabo de foguete! Êta povo que sofre! Sofre, mas goza, eu é que não vou lá, e como já dizia o grande mestre Caymmy: “Pobre de quem acredita na glória e no dinheiro para ser feliz”. A Bahia e o Brasil são umas “comédias” (eheheheh).


Praia ou Bar ?

Aqui na Bahia a briga é boa, de um lado o prefeito e as cervejarias, do outro, o IBAMA e o Ministério Público : alegando renovação da orla marítima, a prefeitura autorizou a construção de um verdadeiro “cacete armado” na praia de Jaguaribe ; favelização das praias mesmo; barracas de alvenaria de gosto duvidoso encobrindo toda a visibilidade do mar, particularizando totalmente, a praia, um Patrimônio Público. É de lenhar! O IBAMA embargou por solicitação do MP (ehehehe).
Aqui em Salvador estamos correndo o sério risco de no próximo verão, as praias serem conhecidas pelo nome da cerveja “x”, cerveja “y”, cerveja “z” e por aí vai... E os políticos ainda argumentam que é importante para geração de empregos, aonde? É ruim, hein? Quanta demagogia! Com uns governantes desses o Brasil não precisa de hecatombes, terremotos, maremotos, terroristas e o escambau, eles já estão enchendo isto aqui de bosta! (eheheh) A Bahia é uma “comédia”!

Dorival Caymmi em sua curta estadia na cidade da Bahia manifestou o desejo de fazer um pequeno e saudoso “tour” pela sua querida terra natal. Só visitou a Igreja do Bonfim, os outros lugares tais como : Itapoã, Abaeté, Pituba e Centro Histórico, foram de prontos descartados pelos seus familiares e amigos. Pouparam-no de uma grande tristeza e desgosto; Itapoã, agora, é uma imensa invasão cercada de casas feias por todos os lados, feitas a culhão, sem nenhum planejamento; Abaeté dia a dia está sendo destruída, centenas de caminhões caçambas roubam as suas areias brancas para a construção civil; A Pituba, há muito, se transformou num amontoado de arranha-céus esdrúxulos, praia poluída e esgotos a céu aberto; O Centro Histórico, exceto a maquiagem do Pelô para turista ver, está abandonado(vide: Rua Chile,Taboão,Comércio, Santo Antônio etc.), caindo aos pedaços ou entregue a especulação imobiliária, uma lástima! Fez muito bem a família e os amigos do poeta e cancioneiro- mor do Brasil em poupá-lo de tamanho constrangimento. As autoridades brasileiras são “umas comédias”. Atotô, meu rei! (take easy, mermão! em linguagem modernosa) Axé, babá!

A Bahia é uma comédia!

Aí, eu ia passando na rua distraído e um evangélico bradando apopléctico : “Quem não aceitar Jesus vai para o fogodosinferno!" Que todo mundo, hoje em dia, vai para o inferno eu tô cansado de saber, o diabo, vai ser enfrentar a fila!(eheheh!) É uma comédia!

Preservando o verde?...

O prefeito da cidade do Salvador resolveu liberar o gabarito da orla marítima de Salvador para a construção de arranha – céus com o argumento de que os mesmos irão ajudar na preservação do verde (que verde é esse?).
Por outro lado, o governador derrotado da Bahia e alguns senadores da República se posicionaram contrários aos limites de preservação do Parque Nacional Marinho de Abrolhos alegando ser exorbitante a área de proteção (detalhe: a ANP apresentou os blocos de exploração de petróleo situados próximos ao banco de Abrolhos). “Buscou-se a distância mínima para evitar que o parque nacional marinho fosse atingido pelo óleo”, argumentou a diretoria do Ibama.
Ministra Marina Silva, Abrolhos, abra o olho!
A Bahia é “uma comédia!”, com uns governantes desses não estamos livres de ataques, pragas, hecatombes, destruições, ainda que silenciosas. É por essas e outras que a Bahia, agora, não é mais conhecida como a cidade das 365 igrejas, e sim, como a terra dos 365 e sabe lá Deus e os Orixás quantos hotéis! E como diria o mestre Bidonga, filósofo e dono de barraca de praia na Vila do Conde, mirando o horizonte : “Eles vão é encher isto aqui de bosta!” (eheheh!). É uma comédia!

Lamentável!

Padre Pinto desiste do candomblé. Só espero que não invente de ser evangélico. Axé, babá!

Entregue às traças!

A cultura brasileira está entregue às traças, todo o Patrimônio Histórico- Artístico -Cultural dilapidado, vilipendiado, em total abandono. Aqui na Bahia o artista plástico Franz Krcjsberg desiste de esperar as migalhas do governo para manter o seu museu ecológico em Nova Viçosa-ba. Espera desde 2001 e a burocracia emperrada. Disse que vai embora da Bahia. Milão, Paris ou Nova York, quem sabe? O mural rupestre que o artista Siron Franco presenteou a cidade do Salvador está sendo roubado aos poucos, peça por peça, sem que nenhuma autoridade sequer se manifeste. Bibliotecas desatualizadas (quando há) e por aí vai! E o pior é que isso acontece em todo o Brasil. Seria cômico, se não fosse trágico!Axé, babá!

Repórter do Jornal “A Tarde” entrevistando o Padre encarregado de celebrar a missa na Igreja do Bonfim, preparada pelo PFL em homenagem ao candidato à presidência Geraldo Alckmin:
- Nome completo?
- Walter Jorge Pinto de Andrade
- Hum, é também “Pinto”? Brincou outra repórter, referindo-se ao sobrenome do rebelde padre José Pinto da Lapinha.
- Sou, mas de outro poleiro!Respondeu o padre bem-humorado.

Urgente!

É preciso que se tome uma providência urgente! As praias do Litoral Baiano, em áreas próximas aos Hotéis e Resorts, estão sendo cercadas e, terminantemente, proibidas à passagem de nativos e banhistas da região. Isso é um absurdo ! Tudo isso com a conivência de alguns prefeitos, óbvio que alguém deve estar levando uns trocados por fora nessa insensatez. Têm que dar um basta nesse disparate, afinal, a praia, ainda, pelo que me consta, é um lugar público, ou não? De tão patético chega a ser risível. Só rindo para não chorar.

Fanáticos enfurecidos seguiam uma baiana do povo-de-santo, dizendo os maiores impropérios e bradando coléricos: “Jesus te ama!”, “Jesus te ama!”. A baiana parou, ajeitou os colares-de-contas, botou as mãos nas cadeiras e com dengo e uma senhora presença de espírito, retrucou: “E Ogum também!”, “E Ogum também!”. Ogunhê, baiana retada!

E por falar em baiana retada, se você vier à Bahia, mais precisamente ao Jardim Brasil, na Barra, não deixe de saborear os genuínos abarás e acarajés da Keka, baiana porreta, filha de Yemanjá, Odoiá, minha mãe! Axé, babá! Keka.

Afastaram Padre Pinto da Paróquia da Lapinha, que maldade!

Ele não cometeu nenhum pecado, simplesmente, estava lutando para preservar as manifestações culturais do povo baiano. É realmente um absurdo o descaso das autoridades e o descalabro do poder econômico para com as tradições artísticas, culturais e históricas da cidade da Bahia (vide, Folclore, Carnaval de Camarotes, Festas de Largo descaracterizadas, Patrimônio Histórico abandonado ou negociado a preço de banana, Culinária desfigurada: acarajé feito com farinha de mandioca , abará com fubá-de-milho e vatapá que parece mingau de milho. E outras ingrizilhas mais). Saravá! Padre Pinto, tem mais é que rodar a baiana mesmo. Axé Babá! Amem!

Estatística escalafobética ou Tradição escalifada : De cada dez alunos de Capoeira na Bahia, oito são estrangeiros ou sulistas. Os jovens baianos preferem o “Breique”, o “RAP” ou o “HIP HOP”, a Bahia é uma comédia!

Coluna Tempo Presente do Jornal A Tarde do dia 09/05/2006. “Casarões do Pelourinho começam a dar sinais de que não passarão incólumes por estas chuvas...Antes eram, problemáticos por dentro, mas bonitos por fora. Agora nem isso. Ontem, a fachada de vários deles, situados no Pelô e na Rua 28 de Setembro, foi ao chão...”. A maquiagem até que durou, não custa nada novos retoquezinhos. A Bahia é a Bahia.


“Massarandupió começa a discutir resort”.

Manchete do jornal “A tarde” do dia 18/4/2006

“A população não é aproveitada”.
Ainda o jornal “A tarde” : “A maior parte dos empreendimentos do litoral norte não tem significado melhoria de qualidade de vida para a população circunvizinha que raramente é qualificada para ser absorvida como mão-de-obra e acaba ficando à margem do desenvolvimento.”

A fúria com que os investidores estrangeiros estão atacando o Litoral da Bahia é algo assustador. Toda a Costa do Litoral Baiano está infestada de Hotéis e Resorts. Como diria o grande filósofo Tonho de Dona Santinha lá no boteco de Vila do Conde : “Eles vão é encher isto aqui de bosta!”. Só rindo para não chorar!

É triste andar pelas cidades brasileiras e ver cinemas e teatros históricos transformados em templos, casas de agiotagens e bingos. Aqui na Bahia, o Cine Teatro Jandaia, onde se apresentaram grandes artistas como Bidú Sayão, Carmem Miranda, Procópio Ferreira e muitos outros, totalmente abandonado e esquecido. O Teatro Maria Bethânia transformado em Bingo. É muito triste andar pelas cidades do Brasil.


No Corredor da Vitória, o que se vê são casarões, alguns seculares, servindo de faixada para monstruosos arranha-céus, retirando toda a ventilação do outrora aprazível lugar. E haja especulação imobiliária!

É bizarro os baianos comendo acarajé e abará de garfinhos e faquinhas plásticas num xopin baiano. Detalhe : em volta do xopin(Iguatemi) o cidadão não encontra uma baianazinha sequer vendendo as iguarias. Será que é proibido? Provavelmente.

A Bahia é a Bahia.

Há bem pouco tempo, havia na parte alta do Elevador Lacerda, logo na entrada, cartão postal da cidade, uma Hamburgueria gaúcha chamada “Baitacão”(nada contra os gaúchos, mas é de lenhar). Descaso das autoridades ou incompetência mesmo? Axé babá!

Carnaval

Já está passando da hora das “otoridades” pensarem num Carnavódromo, Axézódromo, ou seja lá que nome se dê a isso aqui na Bahia. Décadas atrás Caetano convidou todo mundo para a praça e que deixasse aquela gente sem graça no salão. Deixamos, foi pior, aquela gente sem graça veio com o salão e tudo para a rua. Coitados dos moradores da Barra, Ondina e adjacências! O quê resta do Centro Histórico também agradece. É de lenhar!

Pérolas do Carnaval da Bahia:

Rei Momo Diet (58 quilos)
Evangélico entrega as chaves da folia.
Arranhador de discos (DJ estrangeiro) fala mal da música axé.
O povo baiano sai nos blocos: do cordeiro, do isopor, do cata-latinhas, limpezas e serviços gerais em geral.É de lenhar! Axé, babá!

Neste ano de 2006, no Carnaval da Bahia não houve babação de ovo para com o prefeito, feito por vários artistas da chamada “Música Axé” ao passarem com os seus milionários Blocos e Trios Elétricos pelo palanque do prefeito, camarote, quero dizer. Acontece que o prefeito atual e o Ministério Público barraram um decreto do prefeito derrotado, que no apagar das luzes da sua administração, anistiava uma dívida de milhões, dos Blocos de Trio, os mais ricos e famosos, desta urbe. Havia bloco que devia R$20.000.000,00(isso mesmo, VINTE MILHÕES DE REAIS) em impostos. Dessa vez não fizeram discursos, elogiando as virtudes de tão eminente figura, não puxaram o saco dizendo ser ele “O maior prefeito do Brasil...” e outras subserviências mais. Ganharam os cofres públicos do município que estancaram a sangria e o povo da Bahia que ficou livre de tamanha puxação de saco. Artista sem consciência política, não é artista, e sim Bobo da Corte! Axé babá!Iôiô, Iáiá! Só rindo!

Uma famosa cantora de axé ao chegar em frente ao seu camarote a bordo de um possante Trio Elétrico: “E aí, meu povo do meu camarote, estão bem servidos? E os croissants, estão saborosos? E os acepipes? A champanhe está gelada? Diga aí, meu povo... Diga meu povo lindo do meu bloco! Este é o Carnaval mais popular do mundo!” E saiu cantando com o seu povo lindo: “Ai, esse barraco vai cair e eu não quero nem olhar, ele não tem alvenaria e nem coluna pra apoiar, e eu não quero ver o dia... dessa porra desabar, ô, lêlê, ô lálá!...” A Bahia é hilária!

É engraçado artista de fora comentando o Carnaval da Bahia. O cara vem duas ou três vezes a Bahia, empolga-se e solta o verbo: “A Bahia é mágica! O Carnaval da Bahia é o quê há, Viva o Chiclete com Banana a Tradição do Carnaval da Bahia. E a repórter pergunta: E Armandinho, você conhece? Conheço, conheço...(mudando de assunto)Este ar condicionado é uma maravilha!...Um folião dessa estirpe é capaz de achar que Bell é o inventor do Trio Elétrico e que Caetano é o padroeiro da cidade da Bahia. Repórter (cortando) Fala Cassemiro, diga aí, diga aí Iaiá!
Em tempo: Tá na hora de mandar “Essa gente sem graça de volta pro salão...”, todo mundo na Praça, lugar de camarotes é em ópera, clubes e similares.
Sugestão: por que não fazer um Blocódromo na Paralela e deixar o povo brincar nas ruas em paz ? Axé babá!

Gilberto Gil em entrevista ao jornal “A Tarde”, em 29/03/06, sobre a Bahia num raro momento não prolixo: “A Bahia é o fundamento do Brasil , em todos os sentidos: o atraso brasileiro você encontra aqui e o avanço brasileiro está presente, antes de tudo, aqui”.

O atraso do qual o grande artista, baiano retado, fala, é obvio, acontece até os dias de hoje por obra e graça dos maus políticos, e sabemos,isso vem do tempo que se amarrava cachorro com lingüiça. Quanto ao avanço brasileiro e baiano, ao qual ele se refere, credite-se ao povo, a sua alegria, criatividade e imensa capacidade de dar nó em pingo d’água.Axé, babá!